"É melhor ser alegre do que triste, alegria é a melhor coisa que existe!"

segunda-feira, outubro 02, 2006

Estava falando sobre isso esses dias.
Porque será que gostamos de cara de algumas pessoas e de outras não?
De repente você conhece alguém e é pra já a identificação.
Não precisa necessariamente a pessoa ter nascido no mesmo ano que o seu, ou freqüentado o mesmo colégio, faculdade... não precisa nem morar por perto...
É a tal empatia.
Há pessoas que simpatizamos só de olhar e trocar meia dúzia de palavras, quando vê, pronto, nos tornamos amigos de longa data em pouco tempo.
A gente pode até nem falar muito com a pessoa, encontrar pouco, mas quando fala com ela é imediato o entrosamento, a conversa flui de um jeito que até parece que foi ontem que nos encontramos.
Assim como simpatizamos de cara com alguém, podemos não simpatizar. Por nada. Absolutamente. Só porque não gostamos da “cara da pessoa”. Alguns dizem – Ai meu anjo não cruza com o ciclaninho ali, não sei porque, não me fez nada, mas não gosto dele...Que coisa curiosa esta tal empatia. Deve ter alguma coisa de química nisso também....

15 comentários:

Leonardo disse...

Graziana,

Quando o contato é pessoal até tenho cá minhas teorias. Mas e quando é virtual, como este nosso aqui? Como é que rola?? :o :)

Graziana disse...

Leonardo - boa pergunta!
tenho cá pra mim que no virtual é mais ou menos parecido com o presencial...
tenho amigos que só conheço pela internet, a empatia rola sim, talvez um pouco mais devagar...
porque não temos o olho no olho no virtual, talvez por isso demore um pouco mais...
Legal tua visita por aqui, volte smpre :)

marcia disse...

sou das antigas. acredito em empatia, mas já fui traída muitas vezes pela minha incapacidade de perceber (sentir) imediatamente facetas que são decisivas em uma relação, seja de amor ou de amizade. para o bem e para o mal. por isso, quando a coisa é pra valer demora muito pra acontecer. e aí, quando acontece, é pra valer. hum... complicado, né?

Leonardo disse...

hummm... vou vir aqui mais vezes sim, Graziana. Só você mesmo prá fazer uma Pinta Patife falar de amor... ;)

Graziana disse...

Marcia - sim, acho que para se ter uma grande amizade, um grande amor, demora sim...
mas sempre há aquela coisa de empatia imediata que nos leva a investir numa amizade ou no amor... (pelo menos pra mim) Aquilo de conhecer alguém e simpatizar de cara ou não... amar ou detestar

Leonardo - Será sempre muito bem vindo.Estou com créditos então, fazer a pinta falar de amor... mas ela fala de amor lá no blog dela tb, tem textos lindos :)

Sean Hagen disse...

*

não só química, mas matemática, física, gastronomia, design e por aí vai.
enquanto rolar, tá valendo a pena.


*

Graziana disse...

Sean -
sim, quanto mais empatia melhor ;)
melhor para o entrosamento, para o convivio, enfim, melhor para amizade ou amor...

Maira disse...

Acho que tá mais para vibração, ondas, energia... Comigo acontece muito, nem sei explicar mas tem aqueles que gosto de cara, e outroa que detesto, e quase sempre, com o passar do tempo, dificilmente essa impressão muda.

Lu Tricotando disse...

Grazi, acho que tudo depende do andamento da carroça (a vida). Já aconteceu de eu antipatizar com alguém, ou de cara achar meio estranha (aconteceu contigo lembra?) e depois mudar completamente de opinião. E o inverso também, acho que as pessoas se aproximam e com o tempo há ou não afinidade.

Graziana disse...

Maira e Lu - acho que ha empatia, Lu quando a gente começou a conversar a empatia foi instantânea, isso que eu digo...a partir do contato... claro que é dificil só de olhar já simpatizar, é mais dificil, mas acotece também né... coisas da vida

marcia disse...

Leonardo tá tirando uma com a minha cara de pinta... :D

olha, Grazi, a maioria das pessoas, depois de me conhecer, acaba confessando: "eu te achava tão cheia" (claro, uns continuam achando). tenho pinta (ops) de arrogante (que injustiça, eeuuu???). já simpatizei de cara com pessoas que depois me puxaram o tapete. já aconteceu de ter uma belíssima primeira impressão de alguém e depois ir vendo que era um grande filho da puta. e o contrário também.

acho que não tenho intuição. esta coisa de primeira impressão quase sempre me trai. por isso nunca aconteceu comigo (viu, Leonardo? que fofoqueiro) este tal amor à primeira vista. nem à segunda. sou tão lenta, mas tão lenta, que um dia, passados anos, me dou conta do que estou sentindo, e nem sei direito dizer onde começou. deve ser um problema de peninhas.

Graziana disse...

Marcia, sabe que comigo também, algumas pessoas que me conhecem sempre dizem, mas tu tem uma cara de esnobe guria... depois de conhecer e passar um tempo me contam que não simpatizavam comigo... e não foi uma pessoa só, foram algumas...engraçado que duas grandes amigas não simpatizavam comigo e depois se tornaram minhas amigonas... a primeira impressão não foi boa, mas com a convivência, veio a empatia...
Ha! E com certeza ainda deve ter vários que continuam achando eu com cara de "cheia"

Confesso que já me apaixonei a primeira vista, mas foi pura ilusão de ótica... Depois disso passei a ser mais lenta :)

Mosca disse...

Pra mim é mais complicado.. eu tenho a cara meio fechada e não consigo ser com estranhos como eu sou com a minha família por exemplo, não sei por que, mais se eu me esforço pra ser legal acabo sendo falso, e se eu sou somente "eu" meio fechado, falando baixo, guardando as minhas opiniões pra mim, então acabo passando meio despercebido pra uns.. mas mesmo assim tenho uma meia dúzia de bons amigos, um lá, outro cá, mas que valem muito.

Miguel Andrade disse...

O bizarro é esse empatia virtual... Tem gente que aaaaamo muito a sua amizade e depois de meia década nunca nem conversei pessoalmente.

Graziana disse...

Mosca - importante é ter amigos, não importa que sejam poucos, mas eles devem ser bons, né!

Miguel - que legal vc por aqui.
a empatia virtual é bizarra sim, vou concordar contigo. tem pessoas que só falamos pelo mundo virtual, nunca se quer falamos pessoalmente... coisas desta novo cultura do virtual :)