"É melhor ser alegre do que triste, alegria é a melhor coisa que existe!"

quarta-feira, abril 11, 2007

pedras de toque

Li O Biscoito Fino e a Massa um post que gostei muito.
O Ildebar Avelar indicou um post do Paulo Roberto Pires que falava sobre um livro do José Lino Grünewald, que colecionava algumas das pedras de toque da poesia brasileira:
Do prefácio do livro do Zé Lino Grünewald:
(este texto foi publicado em um comentário deste post no blog O Biscoito Fino e a Massa)
"Pedra de Toque" (do inglês touchstone) é um termo que, no caso, se refere a trechos, frases, expressões, ou, às vezes, simples flashes da maior/ melhor densidade poética contidos dentro de um texto.Pode caracterizar tanto um conceito inovador (atual ou da época) - "a mão que afaga é a mesma que apedreja' - ou consagrado, como também efeitos de imagem e/ou musicalidade.Reflete grandes momentos; é claro - com exceção das passagens famosas, algumas lexicalizadas - dependentes da visão subjetiva de quem os seleciona.E, diga-se, na relação ora concretizada, estas pedras foram extraídas não só de poemas, mas de obras em prosa ou composições populares.
No entanto, foram abertas exceções para peças curtíssimas, verdadeiros poemas-pílula que encerram em si uma touchstone.Exemplos como o de Oswald de Andrade "Amor", Millôr Fernandes "Bizâncio", Cassiano Ricardo "Serenata sintética' ou Ferreira Gullar "Cerne claro".
O primeiro, entre nós, a utilizar as "pedras de toque" sistematicamente, como um mecanismo estético/didático, foi o também poeta Mário Faustino, em sua página Poesia-Experiência, que publicou semanalmente no Suplemento Literário do Jornal do Brasil na parte final da década de 1950 - e a partir de 1956.
Ele, agora, aqui retoma com várias passagens.Este livro, sugerido por Ruy Castro, seguindo idêntica pretensão ou objetivo, continua a mesma linha.Acompanham as citações, o(s) nome(s) do(s) autor(es) e as obras das quais foram extraídas.

[...]Enfim, este livro contém uma amostragem.Não poderia ser de outra maneira, mesmo porque seu autor não teria condições de ler ou reler todos os textos poéticos existentes. "JOSÉ LINO GRÜNEWALDNota Introdutória IN: Pedras de toque da poesia brasileiraSeleção e organização: José Lino Grünevald. Rio, Editora Nova Fronteira, 1996
Daí o Paulo propôs as “pedras de toque” da letrística da música brasileira popular para ele; os leitores acharam várias outras, muito boas, como por exemplo:
Tire o seu sorriso do caminho / que eu quero passar com a minha dor
(Nélson Cavaquinho / Guilherme de Brito / Alcides Caminha, “A Flor e o Espinho”)
Algumas minhas:
"Não se afobe, não / Que nada é pra já / O amor não tem pressa / Ele pode esperar em silêncio"
(Chico Buarque - Futuros Amantes)
"Te dei meus olhos pra tomares conta / Agora como eu irei partir
(Chico Buarque - Eu Te Amo)
"Respondo que ele aprisiona, eu liberto
Que ele adormece as paixões, eu desperto
E o tempo se rói com inveja de mim
Me vigia querendo aprender
Como eu morro de amor pra tentar reviver"
(Resposta ao Tempo - Aldir Blanc/Cristovão Bastos)
"Ainda somos os mesmos e vivemos como nossos pais"
(Como nossos pais - Belchior)
"Te adorando pelo avesso
Pra mostrar que ainda sou tua"
(atrás da porta / Chico)
O que será, que será?Que andam suspirando pelas alcovas?Que andam sussurrando em versos e trovas?Que andam combinando no bréu das tocas?
(o que será, que ser? - Chico e Milton)
Bom, vou parar por aqui, porque minha listra é grande... Bem o Avelar "pegou" a brincadeira do Paulo Roberto Pires e eu resolvi fazer o mesmo também!
Quero saber quais são as "pedras de toque" da música brasileira pra você, diga aí!

7 comentários:

julia disse...

Tenho uma: "...E um raio de sol, nos teus cabelos, como um brilhante que partindo a luz explode em sete cores, revelando então os sete mil amores, que eu guardei somente prá te dar Luisa." Do mestre Tom Jobim.

ederson disse...

"Toda vez que falta luz o invisível nos salta aos olhos". Humberto Gessinger ainda será senador!

ederson disse...

ah, e fazer podcasts dá um trabalhão, mas não é muito difícil. tem q ter microfone, um programa de edição de som e muita paciência...

Rosamaria disse...

Xi! Grazi, são tantas! Vamos ver o que lembro agora:

"Meu coração
Não sei porque
Bate feliz, quando te vê"(Pixinguinha e João de Barro)


"A porta do barraco era sem trinco
Mas a lua furando nosso zinco
Salpicava de estrelas nosso chão" (Sílvio Caldas e Orestes Barbosa)


"No dedo um falso brilhante
Brincos iguais ao colar
E a ponta de um torturante band aid no calcanhar"(João Bosco/Aldir Blanc)


"Foi um rio que passou em minha vida/e meu coração se deixou levar" [paulinho da viola]


"Queixo-me às rosas, mas que bobagem
As rosas não falam
simplesmente as rosas exalam
o perfume que roubam de ti"
(As Rosas Não Falam - Cartola)


"Ai, que saudade do luar da minha terra
Lá na serra branquejando
folhas secas pelo chão"
(Luar do Sertão - João Pernambucano e Catulo da Paixão Cearense)




São muitas, guria, nem vou começar com as do Roberto Carlos, Chico ou Caetano, senão vai longe demais...

Achei muito legal essa idéia!

Bjs.

marcia disse...

bah, Grazi, são tantas. lá vão algumas. :P


Eu só queria te contar
Que eu fui lá fora
E vi dois sóis num dia
E a vida que ardia sem explicação
(Nando Reis)


Eu protegi o teu nome por amor
Em um codinome, Beija-flor
Não responda nunca, meu amor
Pra qualquer um na rua, Beija-flor
(Cazuza)


Ser teu pão, ser tua comida
Todo amor que houver nessa vida
E algum veneno antimonotonia
(Cazuza)


O que está acontecendo?
O mundo está ao contrário e ninguém reparou
(Nando Reis)


São demais os perigos desta vida
Pra quem tem paixão
(Vinicius)


Te dei meus olhos pra tomares conta
Agora conta como hei de partir
(Chico Buarque)


Te perdôo
Por fazeres mil perguntas
Que em vidas que andam juntas
Ninguém faz
(Chico Buarque)

Arnaldo disse...

Menina. São tantas as que me tocam. Alguns versos completos, algumas frases esparsas.

Estas são as que eu me lembrei agora:

“Amar foi meu delito, mas foi um sonho tão bonito”
Senhora liberdade (Wilson Moreira – Nei Lopes)

“mas quem virá
Me pergunto a toda hora
E a resposta é o silêncio
Que atravessa a madrugada”
Pressentimento (Elton medeiros & Hermínio Bello de Carvalho)

“As frases e as manhãs são espontâneas”
Amigos novos & antigos (João Bosco &Aldir Blanc)

“A sorrir eu pretendo levar a vida
Pois chorando eu vi a mocidade perdida”
O sol nascerá (Cartola 7 Elton Medeiros)

“Conta onde passeia hoje esse seu olhar”
Paulista (Eduardo Gudin & Costa Neto)

“Nasci com a minha morte
Dela não vou abrir mão”
Canto latino (Milton Nascimento & Ruy Guerra)

“Eu descartava os dias em que não te vi
Como de um filme a ação que não valeu”
Valsa Brasileira (Chico Buarque & Edu Lobo)

“Hoje eu vim minha nega
Como venho quando posso
Na boca as mesmas palavras
No peito o mesmo remorso”
Coisas do mundo, minha nega (Paulinho da viola)

“Quem acha vive se perdendo”
Feitio de oração (Noel Rosa e Vadico)

“A morte que a vida anda armando, a vida que a morte anda tendo”
Desenredo (Dori Caymmi & Paulo César Pinheiro)

Lu disse...

'Mas, tão certo quanto o erro de ser barco
A motor e insistir em usar os remos,
É o mal que a água faz quando se afoga
E o salva-vidas não está lá porque
Não vemos"
(Renato Russo)

'Eu não existo longe de você.
E a solidão é o meu pior castigo.
Eu conto as horas pra poder te ver.
Mas o relógio tá de mal comigo"
(Adriana Partimpin)

'Entre as coisas mais lindas que eu conheci
Só conheci suas cores belas quando eu te vi
Entre as coisas bem-vindas que já recebi
Eu reconheci minhas cores nela e então me vi"
(Nando Reis)

"Gente é pra brilhar,
Não pra morrer de fome'
(Caetano Veloso)

"O que está acontecendo?
O mundo está ao contrário e ninguém reparou
(Nando Reis)

"Ele queria era falar pro presidente
Pra ajudar toda essa gente
Que só faz sofrer"
(Renato Russo)

"Nos deram espelhos e vimos um mundo doente
Tentei chorar e não consegui. '
(Renato Russo)