"É melhor ser alegre do que triste, alegria é a melhor coisa que existe!"

segunda-feira, abril 09, 2007

Pombas, Veríssimo!

Sabe, leio sempre a coluna do LFV na Zero Hora, segunda e domingo, sempre que sai. Gosto muito dos textos, pelo bom humor e pelo estilo de escrita do nobre escritor.
Mas hoje cheguei a reler duas vezes a
sua coluna, porque não reconheci ali um texto do LFV. Não poderia ser o LFV que leio sempre e recomendo.
Me perguntei: Onde estaria o nobre escritor naquele momento que aquela crônica estava sendo escrita? Pensei:Não, ele não seria capaz de tanta indelicadeza. Ou melhor, ele não seria tão grosseiro assim. E depois, um homem tão inteligente como o nobre escritor não seria capaz de generalizar e escrever sem conhecimento sobre um assunto! Não seria o LFV que estaria escrevendo “achismos” por aí...
O então LFV escritor renomado e querido por todo povo gaúcho aparece nesta segunda- feira, na página 03 da Zero Hora, jornal de grande circulação em nosso Estado com a seguinte afirmação:

Pombas são dissimuladas e de péssimo caráter. Profissionais de relações públicas devem venerar as pombas, pois são o maior exemplo conhecido do triunfo de RP sobre a realidade.
(grifos meus)

O grande escritor LFV afirma TODOS os profissionais de RP e fazendo isso esquece que é de péssimo tom generalizar e colocar todo mundo no mesmo balaio de gatos.

Agora vou eu, escrever na página 3 da Zero Hora, numa segunda-feira, que todos os colunistas não sabem muito bem sobre o que escrevem, geralmente mentem ou falam mal de alguém para preencher espaço no jornal.

Pombas Luis Fernando Veríssimo!
O coelhinho da páscoa não passou na sua casa, foi isso?

Não sou mentirosa, não trabalho com mentiras e os meus colegas Relações Públicas também não.

Meu Caro, antes de generalizar, pense bem. Antes de ser grosseiro com algum profissional, lembre-se que você é formador de opinião, tem um grande público que o lê.
Você tem o poder de ridicularizar ou não qualquer pessoa ou profissional a hora que você quiser, mas será que isso é de bom tom?

Será que você realmente conhece quais são as funções de um profissional de Relações Públicas, pesquisou bem antes de sair falando aos quatro cantos do mundo que só trabalhamos mentindo por aí? Que nosso trabalho é só mascarar, mentir ao público sobre a imagem de alguém ou de uma instituição!
Estou pasma com tanta grosseria num texto só!

Meu Caro, nunca fui favorável àquela ladainha de defender as Relações Públicas, de sair explicando pra todo mundo, como que mendigando atenção de toda gente, para a minha profissão. Acredito que está mais do que na hora de pararmos de discutir o que são as Relações Públicas.

Mas mesmo tendo esta opinião, vou lhe dizer, nobre escritor, o que são as Relações Públicas a partir das palavras do teórico que mais admiro dentro da área de Relações Públicas:

"Para conceituar relações públicas, devemos partir da dedução da definição operacional que oferece as tradicionais etapas do exercício de RP: Diagnosticar a dinâmica no sistema organização-públicos na conjuntura política-econômica; prognosticar o que irá acontecer, neste sistema, a curto e médio prazos, assessorar os líderes nas políticas organizacionais, implantar programas de comunicação e, por fim, avalilar os resultados da intervenção no relacionamento organização-públicos.Realizando uma leitura da definição operacional que é quase de consenso mundial - chega-se a uma definição conceitual que: Relações Públicas é a gestão da função organizacional política. Nossa atividade é uma atividade administrativa, mais específicamente: de gestão. Seu maior aporte na ciência política encontra-se nos trabalhos de Hannah Arendt. O objetivo pragmático dessa atividade é a busca da cooperação no sistema organização-públicos.Toda profissão possui uma finalidade moral. A Medicina tem a busca da Saúde, O Direito busca a Justiça. As Relações Públicas buscam a Harmonia social no sistema organização-públicos".
Roberto Porto Simões


Tenho ainda outra colocação que gostaria de fazer.
Não é o profissional de Relações Públicas que forma a imagem das pombas ou das pessoas ou ainda de uma empresa. Não temos este poder! Explicando grosso modo: Cada um de nós forma a imagem do outro. “É do olhar do espectador que os sujeitos dependem para a formação da imagem.” (WEBER, Maria Helena. Comunicação e espetáculos da política. Porto Alegre: Editora Universidade / UFRGS, 2000. 217p.)

Hoje, depois de ler sua crônica, saí para comprar um dvd na loja que tem em frente ao local que trabalho. Pois bem, atravessei a rua e encontrei uma senhora reclamando das pombas!
Das pombas, coincidência eu pensei. As pombas que o LFV diz ter uma imagem de virtude e beleza! Veja só, a senhora reclamando das pombas, ela me dizia – Vejam como são burras as pombas, dei comida a elas e elas não se deram conta, não aproveitaram, não comeram, são burras as pombas!
Puxa, as pombas de imagem invejável e inabalável, burras!
Aquelas pombas até poderiam ser burras pensei, mas deve existir outra pomba por aí que não seja burra, não é possível todas serem iguais não é mesmo, afinal não é legal sair generalizando por aí, não é mesmo?

Me senti incomodada, muito incomodada ao ler esta coluna e ver o nobre escritor generalizando e chamando os relações públicas de profissionais da mentira.
Me incomoda sempre ouvir as pessoas falando o que não sabem sobre os profissionais de RP. Muitas vezes só reproduzindo o que assistem nos enlatados americanos, sim, porque ali eles apresentam o RP como um profissional que não sabe o que é ética.

A profissão nasceu no Brasil na época da ditadura e quem sabe por isso tenha esta imagem para o senhor. Mas os anos passaram, a profissão evolui. Não somos um bando de mentirosos, não passamos o dia na frente de computadores maquinando qual será a próxima mentira a ser contada para nossos públicos a fim de criar uma boa imagem seja lá das pombas, de uma pessoa ou instituição.

Trabalhamos com comunicação. Comunicação numa via de mão dupla: nos preocupamos em comunicar, mas também em ouvir o que nossos públicos desejam, buscamos o retorno deles para a cada dia aprimorar nosso trabalho em benefício dos públicos.
Trabalhamos com imagem sim, Veríssimo, mas para isso não precisamos sair mentindo mundo a fora.

Pombas, Veríssimo!
Em 10/04
O texto do LFV também foi publicado no blog do Noblat e está repercutindo por aí. Parece que nenhum colega RP ficou contente com os comentários do nobre escritor.
Ainda repercutindo as pombas - 12/04/07
Parte Final da Crônica do Veríssimo, publicada na Zero Hora, página 03:
Há dias escrevi que o relações-públicas das pombas, bichos lamentáveis que, no entanto, têm uma imagem invejável, devia ser extraordinário. Recebi vários protestos, não de pombas, mas de relações-públicas. A idéia era citar as pombas como o que, em publicidade, se chama de um "case", no caso de sucesso na construção de imagens, portanto admirável. Entenderam que eu estava atribuindo aos RPs os defeitos das pombas. Era uma fantasia hipotética, gente. As pombas não têm RP, e duvido que algum RP aceitaria a conta das pombas. A intenção não era ofender ninguém além das pombas. Relações públicas é uma profissão séria e cada vez mais necessária. Acho que eu mesmo estou precisando de um.

21 comentários:

ederson disse...

hehe... gostei da resposta, mas não acho que o texto do Veríssimo tenha sido grosseiro com os RPs. Ele diz que as pombas são bem vistas porque "divulgam" apenas seu lado bom. Se eu fosse RP e trabalhasse numa empresa, eu ia divulgar apenas o lado bom da empresa. Ia tentar fazer com que os outros esquecessem que ela polui, explora os empregados, causa câncer e maltrata os gatinhos da vizinhança... Assim como fazem, com muita eficiência, os RPs - com os publicitários - da Petrobrás, da Souza Cruz, da Coca Cola, da Nike etc etc etc...
Normal, normal... Não se estresse...

ederson disse...

outra coisa: tu ficou tirando foto com flash no show do Chico Buarque? que feio... se eu tivesse lá tinha jogado um chiclete no teu cabelo...

ederson disse...

ah, parabéns pelo aniversário do blog!

Luluca disse...

Grazi, acabo de chegar da Fabico e vi que a indignação é geral.
Mal interpretado ou não, acho que todo o comunicador (jornalista, publicitário ou rp), formador de opinião que é, deve ter consciência de suas palavras. Consciente, deve saber que suas palavras terão resposta, pois ainda temos capacidade crítica (às vezes em estado vegetativo, às vezes latente).
Aguardo agora a reação de LFV. :)

Arnaldo disse...

Graziana,

Generalizar é sempre perigoso. É como dizer que todo engenheiro é babaca ou que todo jogador de futebol é analfabeto. Até quem diz que todo político é desonesto está caindo numa armadilha que fortalece aqueles que defendem os regimes ditatoriais.

Foi bom o teu texto pois, mesmo tendo um tom de revolta, não foi um choramingo.

marcia disse...

tá, Grazi. eu sei que ele mandou mal. mas humor só funciona na base do preconceito e da generalização, vc sabe disso. quando ele disse "tudo RP", eu me matei rindo. juro que eu podia "ver" o tom dele dizendo isso, bem rapidinho.

a gente não pode defender a profissão sem capacidade de crítica. você certamente conhece maus RPs, como eu conheço (muitos) maus jornalistas. nenhuma definição de livro é capaz de mudar isso. se vc é capaz de recusar um trabalho, porque acha que "aquilo" não é RP, outro colega seu é capaz de aceitar, vai aceitar e vai fazer.

sobre as pombas: as pessoas acham que elas são bonitinhas. e eu me lembro das pombas da Fabico, que vc conheceu tão bem. fonte de doenças, infestando o ar condicionado, sujando as janelas, trazendo riscos permanentes a todo mundo. mas, quando vc fala em resolver o problema, sempre vem alguém lembrar que elas são símbolo da paz, fofinhas etc. não posso negar que elas têm uma "imagem pública" que não condiz com o quanto são prejudiciais aos humanos. foi isso que o Verissimo quis dizer, vc entendeu.

os profissionais que trabalham com a construção da imagem de pessoas e instituições são os RPs, não são? eu sei que RPs não fazem SÓ isso, mas FAZEM isso. acontece que também os RPs têm uma imagem pública. bom, então talvez os RPs devam trabalhar a sua própria imagem junto à sociedade, pois no geral podemos dizer que a coisa tá feia.

se serve de consolo, a imagem dos jornalistas não está muito melhor. talvez a gente deva chamar os publicitários das pombas.

Zé disse...

Pô, ficou chato pro Veríssimo. Se ele tivesse publicado isso na semana, eu ia lá no Quiosque só pra xingá-lo. Depois iria embora, porque os preços do Quiosque tão pela hora da morte e o boteco ainda contrata jornalistas pra fazerem trabalho de RP, ainda que sejam minhas amigas.
Firmeza aí!
Bjus

Vane Gomes disse...

Grazi

Simplesmente muito bem escrito... Acho que se alguém deseja ser "engraçado" deveria pelo menos pensar onde a piada vai cair. Entre muitas outras coisas trabalhamos a imagem, mas nunca nos valendo da manipulação da verdade (pelo menos os profissionais que nutrem a semente da ética). Como eu sempre digo, na nossa sociedade falta um pouco mais de respeito. Sem respeito nenhuma imagem se fortalece, nem a do LFV.
Beijos com saudade

Marcia Ceschini disse...

Olá Graziana,

muito bom seu texto. Também escrevi sobre isso no meu blog. Caso queira retribuir a visita: http://orasblog.zip.net

um abraço

Anônimo disse...

oi Grazi,

que interessante, quem lhe mandou o email sobre os prêmios dele?
Obrigada pela visita.. e ficarei freguesa do seu blog.
abraços

Marcia

Graziana disse...

Ederson -
Não é que as pombas divulguem seu lado bom, a imagem que as pessoas tem delas é que é boa, por alguma razão...
foi um pequeno desabafo, já ouvi muito este papinho contra RP, resolvi responder...

Gostou das fotos do Chico???
Claro que não são como as tuas, maravilhosas, mas até que ficaram boazinhas ;)

Luci- tem muito RP descontente com o assunto, vai ver só os RPs interpretaram como ofensa ;)

Marcia - foi um desabafo!
Achei grosseiro da parte do LFV...
Sei do problema de imagem dos comunicadores, mas não posso negar que eu fiquei irritada com o que ele escreveu num jornal de grande circulação, ele acabou dando uma forcinha pra piorar a imagem do RP...
E sim, tem profissional "do bem" e "do mal" em todas áreas, claro, mas quando ele generalizou, me ofendeu também...
Vamos contratar as pombas, elas vão nos ensinar o que fizeram pra ter esta imagem...

Zé - vai concorrer fazendo trabalho de RP é?
beijo ;)

Vane - obrigada! saudade!!! volte sempre ;)

Marcia
Foi um colega do curso de especialização que faço, mandou por email...interessante né!
ele tem um blog, está na minha lista de Bem Escritos - Blog do Zé
Volte sempre ;)

Lu disse...

Tu é RP ou advogada?...brincadeirinha. Conheci uma RP uma vez que dava medo. Uma colega foi a uma reunião com ela e qdo voltou quis me matar pq eu não alertei sobre a dita.....guria, nunca vi alguém tão horrível, com certeza na profissão errada. Um dia ela teve um ataque do coração (mesmo sendo super esportiva). Acho que os RPs em geral injetam a empresa na veia, aí dá nisso. Salve-se quem puder!

Graziana disse...

Luisa - vc nunca me falou desta RP!!!!

Pessoal, recebi resposta do LFV:

Prezada Graziana:

A ZH me passou seu E-mail. Antes de mais nada, obrigado pela cordialidade do puxão de orelha.
Mas acho que você não entendeu bem o que eu escrevi, Citei o caso das pombas como um triunfo da
criação de imagem, um "case" que qualquer profissional de RP consideraria exemplar.
Fui redator de publicidade durante muitos anos e estudávamos "cases" assim pelo mérito da redação e da arte,
independentemente do que estava sendo vendido. Meu texto sobre as pombas é uma fantasia -
a não ser que você acredita que eu acredito que as pombas têm mesmo RP. Um "case" hipotético e bem humorado para ser estudado.
Você entendeu que eu atribuia aos RPs os mesmos defeitos das execráveis pombas, e uma
forma de cumplicidade na sujeira que elas espalham. Não sei como chegou a essa conclusão,
mas se a ofendi, peço desculpas. Já fui do ramo, que respeito e admiro.

E mais uma vez obrigado
Codialmente
Luis Fernando

Respondi:

Prezado Luis Fernando Veríssimo,

Agradeço seu email.
Fico feliz de saber que o meu texto tenha chegado até o senhor.

Sei que seu texto é uma fantasia, sei que o senhor não acha que as pombas tenham um RP, entendi sim seu texto.
Às vezes, quando escrevemos não nos damos conta da dimensão que cada frase nossa pode ter, trabalho com comunicação e sei como funciona.
A minha indignação não foi com as pombas, mas foi com o modo que o senhor apresentou o profissional de RP para os leitores da Zero Hora.

Todas as pessoas que eu conheço, que leram sua crônica, entenderam o mesmo que eu entendi: Profissionais de Relações Públicas trabalham atrás de uma boa mentira pra contar a afim de vender bem aquela pessoa, empresa etc.
São profissionais sem ética que veneram um "case" como o das pombas, animais detestáveis, mas com uma imagem de virtude, porque eles são um case de sucesso, afinal. O que importa para o profissional é uma boa mentira e a melhor maneira de contá-la para "enganar" o público.

Foi isso que eu e todas pessoas que eu conheço, que leram o texto, entenderam. Talvez tenhamos feito esta leitura por conhecer a profissão de Relações Públicas, por sermos Relações Públicas e então não conseguimos nos isentar da situação de profissional pra ler o texto e rir, como alguns amigos jornalistas fizeram.

Além disso, é sempre muito complicado generalizar. Claro que sempre há em toda profissão quem é "do bem", quem é "do mal", mas Todos RPs não devem venerar cases onde uma péssima imagem pode ser mascarada e vir a ser uma imagem maravilhosa. Eu não trabalharia em cima de mentira e não conheço profissionais que fariam isso.

Não costumo responder quando vejo alguem fazendo comentários deste gênero dos profissionais de RP, mas desta vez resolvi comentar. Talvez o RP não tenha a melhor imagem do mundo, tudo bem, mas ao me ver no "balaio de gatos" me senti ofendida.

Gosto muito dos teus textos, acompanho suas crônicas e recomendo sempre.
Acredito que o senhor não tivesse a intenção de colocar o profissional de Relações Públicas com esta imagem na sua crônica, mas foi infelizmente o que eu li e interpretei e não li e interpretei sozinha. Acredito que o senhor tenha recebido outros tantos emails como este que enviei, de profissionais de RP ou não, chamando atenção do senhor sobre a forma como apresentaste o RP para os leitores de Zero Hora.

Agradeço mais uma vez sua atenção em responder ao meu email. Espero continuar lendo bons textos seus.

Att.
Graziana Fraga dos Santos

Fernanda disse...

Grazi, confesso que não compartilhei contigo a leitura do texto, que achei engraçado e bem-humorado. Mas sempre que nos sentimos ofendidos, devemos sim nos manifestar. Isso tem realmente muito valor.
Um beijo,
Fer

ederson disse...

eu tb não compartilhei contigo a leitura do texto, não... ele não diz q os RPs mentem ou procuram mentiras e etc... eles diz q as pombas fazem um bom trabalho de divulgação de uma imagem, como fazem RPs (e outros profissionais). Mas ok, interpretação de texto é sempre algo subjetivo.

Eu gostei das fotos do Chico, mas não é legal tirar foto com flash em shows (até pq pouco, ou nada, adianta) pq fica ofuscando o artista e as pessoas em volta, inocentes. eu ia te jogar um chiclete no cabelo mesmo se tivesse lá, mas não um muito grande... (-:

Ana disse...

Entendi o texto do LFV de outra forma, também...

Na verdade, num mundo onde imagem é tudo, a verdade nem sempre interessa!

Como minha própria RP procura esconder meus defeitos e realçar minhas qualidades... Normal... O problema é o contexto, é quando isto é feito de forma que vá lesar consumidores, cidadãos, eleitores...

Muito boa a discussão!

LJ disse...

Olá, Graziana.
O fato é que, ainda que não tenha sido intencional, ainda que tudo seja uma "fantasia", as interpretações podem ser várias e uma delas pode comprometer a imagem da nossa profissão. Que bom que ele (LFV) respondeu a sua mensagem, que bom que se explicou, e, com isso, pôde perceber que estamos atentos e unidos. Parabéns pelo texto, pelo aniversário do blog.
Também postei no meu blog um texto em referência à "Pomba" do Veríssimo.Se tiver interesse, aí está o link:
http://palavrasvoamescritosficam.blogspot.com/

Abraços ...
Laura Jane

Sean Hagen disse...

*




huáhuáhuáhuáhuáhuáhuáhuáhuá

não acredito que vc foi puxar a orelha do cara.
grazi, não te conheço.

ótima história essa, ri muito lendo tudo isso, desde o começo até a retratação pública.
caramba, os RP's devem ter ficado furiosos mesmo.

mas confesso que entendi o que ele quis dizer, e até o elogio dizendo da capacidade dos bons profissionais.

de qualquer forma, gostei de ver a tua cruzada.
vai virar diretora do conrerp ainda.





*

Graziana disse...

Ederson vou lembrar de desligar o flasch no próximo ;O

Ana - acho que ele não teve a intenção, mas muitas pessoas que não são RP e as que são, entenderam que ele apresentou de forma negativa o profissional.
foi boa a discussão sim ;)

Laura Jane - o LFV foi muito atencioso em responder, inclusive publicamente, na sua ultima crônica.
Passarei lá no teu blog sim, volte sempre ;)

Sean - vc me conhece sim, só não tinha percebido este meu lado sindicalista ainda...
e depois nem foi um puxão de orelha tão forte assim ;)

Rosamaria disse...

Grazi, acompanhei toda essa tua história por aqui, embora não tenha comentado, pois entrei sempre com pressa ou sair no meio do comment.

Hoje saiu no Diário de Santa Maria um papo com um amigo muito querido meu, que é RP do Theatro Treze de Maio.

Entra aqui:

http://www.clicrbs.com.br/jornais/dsm/jsp/default2.jsp?uf=1&local=1&edition=7594&template=&start=1§ion=Colunas+e+Charges&source=a1474919.xml&channel=10&id=&titanterior=&content=&menu=&themeid=§ionid=&suppid=&fromdate=&todate=&modovisual=

Vou falar pra ele no teu blog.

Bom findi.

Bjs.

Vini disse...

Tchê! Não li esse texto do Veríssimo, mas como jornalistas, rp's e publicitários não cabemos todos no inferno, sobra uma vaguinha no ninho das pombas...hehehe.
Imagine um mundo sem advogados, jornalistas, publicitários e rp's... q lindooooo seria! :D