"É melhor ser alegre do que triste, alegria é a melhor coisa que existe!"

segunda-feira, junho 18, 2007

No tempo da maldade, acho que a gente nem tinha nascido...

Chico Buarque completa mais um ano de vida em 19 de junho. Conversava estes dias com algumas amigas sobre o fenômeno que Chico Buarque se tornou. No show que ele fez em Porto Alegre, em março passado, pude comprovar. O público formado basicamente por mulheres, mulheres maduras, adultas, adolescentes, mulheres, muitas, todas atrás de Chico. Desde sua entrada, até sua ultima canção, eram gritos, aplausos, gritos. Chico! Foi indescritível ver Chico cantando João e Maria, sendo observado pelos músicos com olhar de admiração, enquanto regia o público.

Chico com seus olhos azuis estonteantes, seu jeito de menino e suas letras inconfundíveis. Sou fã confessa, apaixonada por suas inúmeras letras, todas marcadas por sua genialidade e poesia. Uma lista que não consigo fazer, são das músicas que mais gosto dele, pois são tantas, talvez todas. Sempre brinco que Chico escreve com o útero, pois não é possível um homem escrever tantas musicas geniais no feminino como ele. Gosto muito de “ O meu amor” que Chico fez para a peça Opera do Malandro, uma das poucas canções no feminino onde a mulher não está sofrendo ou madizendo o seu amor. A letra é linda e a deixo em homenagem ao aniversariante do dia.

O meu amor
Tem um jeito manso que é só seu
E que me deixa louca

Quando me beija a boca
A minha pele toda fica arrepiada
E me beija com calma e fundo
Até minh'alma se sentir beijada, ai
O meu amor
Tem um jeito manso que é só seu
Que rouba os meus sentidos
Viola os meus ouvidos
Com tantos segredos lindos e indecentes
Depois brinca comigo
Ri do meu umbigo
E me crava os dentes, ai
Eu sou sua menina, viu?
E ele é o meu rapaz
Meu corpo é testemunha
Do bem que ele me faz
O meu amor
Tem um jeito manso que é só seu
De me deixar maluca
Quando me roça a nuca
E quase me machuca com a barba malfeita
E de pousar as coxas entre as minhas coxas
Quando ele se deita, ai
O meu amor
Tem um jeito manso que é só seu
De me fazer rodeios
De me beijar os seios
Me beijar o ventre
E me deixar em brasa
Desfruta do meu corpo
Como se o meu corpo fosse a sua casa, ai
Eu sou sua menina, viu?
E ele é o meu rapaz
Meu corpo é testemunha
Do bem que ele me faz
Além desta, deixo mais uma, porque é impossível falar de uma só canção, quando falo dele.
Todo Sentimento
Preciso não dormir, Até se consumar
O tempo Da gente
Preciso conduzir
Um tempo de te amar
Te amando devagar
E urgentemente
Pretendo descobrir
No último momento
Um tempo que refaz o que desfez
Que recolhe todo o sentimento
E bota no corpo uma outra vez
Prometo te querer
Até o amor cair
Doente Doente
Prefiro então partir
A tempo de poder
A gente se desvencilhar da gente
Depois de te perder
Te encontro, com certeza
Talvez num tempo da delicadeza
Onde não diremos nada
Nada aconteceu
Apenas seguirei, como encantado
Ao lado teu

3 comentários:

Sean Hagen disse...

*



meu irmão, que é um chato, faz aniversário hoje.
se quem faz aniversário hoje é chato, chico é um chato.

putz, que decepção.




*

Lu disse...

É, bonito ele é. É ótimo compositor também. Já cantar...... acho que não concordamos! Mas isso nem conta. Gosto dele também, não que nem tu, mas gosto.

Rosamaria disse...

Eu tb gosto do Chico, mas não é paixão como tu.