"É melhor ser alegre do que triste, alegria é a melhor coisa que existe!"

sábado, abril 17, 2010

Bom dia, Claudia Laitano

Acabei de ler o texto da Claudia Laitano, publicado na página 2 da Zero Hora, chamado Bom dia.

E eu, que só dou bom dia a quem conheço e retribuo aos que não conheço, quando recebo um bom dia, só estranhei uma coisa neste texto: a citação da campanha que o Casseta e Planeta está fazendo para que Dunga dê pelo menos um bom dia.

Ao contrário do vizinho da Claudia, que não dá bom dia, Dunga, que é meu vizinho, sempre dá.

Não houve um dia que eu tenha passado por ele sem retribuir o seu bom dia, já que ele sempre deu bom dia antes de mim.

Enfim, Dunga é uma das pessoas mais simples que eu já vi, fala com todo mundo, para na esquina da sua casa para conversar e tomar chimarrão com o pessoal que trabalha na segurança. Dá atenção a todos.

Equivoca-se o Casseta e Planeta com esta campanha.

Talvez o Dunga não diga bom dia a eles, quem sabe, mas aos seus vizinhos, ele distribui e retribui o Bom dia, sem grunir, sem sofrer, com sua boa educação e bom humor, porque não?

Já que é dificil acordar sem bom humor distribuindo Bom dia por aí...

A pergunta do texto da Cláudia é: "Será que somos condenados a ser conhecido como o povo mais "curto e grosso" do país?"

Pode até ser que sim, Claudia.

Já que "curto e grosso" é uma imagem construída a muitos e muitos anos e repetida muitas e muitas vezes por aí...

Mesmo assim achei que a Claudia ia gostar de saber que o meu ilustre vizinho dá Bom dia, sim, como todos os demais vizinhos que eu tenho.

E fazendo um link com a matéria "O Debate na aldeia", da página 4 - "O valor de quem fica no sul", o Duga é mais um gaúcho que decidiu ficar aqui, assim como Nei Lisboa, Zé Vitor, o cardiologista Lucchese, citados no texto, entre outros tantos, também poderia ter uma estátua sua em uma das nossas praças, ter um maior reconhecimento.

Pegando carona com o texto que o Carlos Duque fez para Nei Lisboa, diria a todos os porto alegresenses que estão fora, voltem, temos o Nei Lisboa, o Dunga, o Vitor Ramil (mesmo não estando na capital, continua em Satolep), enfim, temos muita gente talentosa por aqui...

Vamos reconhecer nossos talentos!

3 comentários:

Ana disse...

Que bom saber que o Dunga é assim...

Ontem jantamos num restaurante muito simples, aqui em Pelotas (mas que serve um galeto+massa+polenta deliciosos) e o Vitor Ramil tava na mesa ao lado.

Bom que eles permaneçam por aqui, sim!

Beijooo!

João Luis Calliari Poesias disse...

Oi, Graziana! Entrei no Google pra descobrir o mail da Claudia Laitano e dei com teu Blog. Também li a coluna. Estranhei o fato de ela não saber em que "categoria" Porto Alegre se enquadra. Afinal, onde é que ela vive? Porque se omitiu em dar a opinião? Eu sei a catgegoria em que Porto Alegre se enquadra, moro aqui.Também concordo com teu texto apesar de não morrer de amores por Porto Alegre. Acho que ela deveria ter dito em que categoria Porto Alegre se enquadra, em vez de sair pela tangente. Abraço. João Luis. www.jlcalliaripoesias.blogspot.com

Rosamaria disse...

Que bom que pelo menos estes ficaram por aqui. E que bom que teus vizinhos, famosos ou não te cumprimentam. Os vizinhos que moram ao lado da minha casa não são famosos, são só ricos e não cumprimentam ninguém.
Guriazinha, não pensa que te esqueci pq não apareço aqui há tempos.
Bjim, cosquirídia.